DE LISO CUMPRIDO A CURTO CACHEADO – A HISTÓRIA DA RHAYSSA HORRANNA

Oiii, Gentiii tudo bem? Amores hoje logo de manhã li pela 3x a história dessa linda que vou mostrar pra vocês, ela é mais uma das leitoras que passou pela transição e essa eu conheci de pertinho quando ela ainda tinha um cabelão gigante eu me lembro quando disse.
“Menina deixa esse cabelo cachear”. Mal sabia eu que um dia ela iria fazer isso.

Demorou pra acontecer, mais valeu muito a pena.
Fiquem agora com a história dela, que inspire muitas de vocês que estão querendo ou estão passando por essa fase.

Rhayssa Horranna, 24 anos, Mineira.
Blog EbaCasei – www.blogebacasei.com.br

Quando resolvi entrar na transição capilar eu nem sabia que tinha um nome para esse processo de voltar ao cabelo natural e deixar de lado as químicas, e claro resolvi entrar nesse processo justamente por ter grandes decepções envolvendo alisamentos, escovas progressivas e relaxamentos.

Essas químicas com a finalidade de alisar funcionavam como uma maquiagem para esconder a verdadeira realidade de que o cabelo está danificado, com queda, ressecado e precisando de cuidados e tratamentos. Em decorrências dessas químicas meu cabelo já não desenvolvia, não crescia e isso não me agradava, então a solução mais rápida e imediata que escolhi foi o mega hair. Amava ter o cabelo comprido, tanto que usei por 5 anos, mas ainda assim não era o meu cabelo e a cada manutenção (subir o mega hair de volta na raiz) percebia a falsa promessa de que o cabelo cresceria com o uso. Falsa pelo menos para mim, porque nesses 5 anos meu cabelo não desenvolveu, ao contrario só ficou mais fraco e quebradiço. Hoje não indico para ninguém com o cabelo afro o uso de mega hair por mais de 3 meses, primeiro porque vicia e segundo, porque danifica muito o fio e o couro cabeludo.

É claro que ter novamente o cabelo natural envolve sua aparência e forma como você se vê, ainda mais depois de anos com ele comprido e liso, então antes de cortar e cachear foi necessário trabalhar meu emocional e psicológico para essa mudança, tem pessoas que acham que isso é frescura, mas só quem passa pela transição que sabe como as sensações e o humor variam muito nesse período. Depois de quase 2  anos pensando e criando coragem para assumir de vez meu cabelo natural, em Outubro de 2010  eu tirei o mega. Mesmo sem passar alisantes eu continuava escovando e passando a chapinha, e fiz isso por quase um ano a mais com ele curto para conseguir ficar na transição, depois comecei a amassar as pontas que já estavam enrolando e saia de casa achando que eu era uma cacheada, doce ilusão!! Haha!!

 Fácil não foi e não é, inclusive posso afirmar que “Fácil”, é uma palavra desconhecida quando se trata do processo de transição capilar. Gente, é muito complicado, demorou muito até eu me adaptar novamente com o cabelo curto e com a textura do meu próprio cabelo sem química. Foi então que comecei assistir muitooos vídeos sobre a transição, métodos, técnicas, dicas de produtos, cronograma capilar e texturizações. Seguir as meninas que também passavam por isso no Youtube e ver o que elas faziam e como ficava lindo me inspirou demais. Foi assim que aprendi o que era texturização e fiz, a primeira vez que olhei no espelho amei o resultado, e a partir dai não parei mais.

A sensação é maravilhosa saber que agora estou cuidando e fortalecendo meu próprio cabelo. Sigo o cronograma capilar com hidratação, nutrição e umectação, atualmente ainda faço texturizações e não consigo mais me ver sem os cachos.  Estava tão bem comigo mesma e me sentindo incrível com meu cabelo que decidi nem me chatear com as opiniões alheias quando saísse de casa “cacheada”, mas para minha surpresa minha família, amigos e conhecidos também curtiram a mudança e me deram total apoio e elogios. Até pessoas desconhecidas elogiavam e queriam saber o que eu fazia para manter o cuidado e a definição. Hoje percebo que foi a melhor mudança que poderia ter feito, mudei o cabelo e com isso transformei também a minha personalidade e autoestima. Concordo totalmente com as palavras da Coco Chanel: Quando uma mulher muda o cabelo, ela pretende mudar de vida”.

PS: Agora a vontade é andar com a plaquinha: “Proibido tocar no meu cabelo” ou “Veja apenas com os olhos, não com a mão”, porque todo mundo já vem com aquela mãozinha sujinha querendo pegar e amassar. Justo quando ele está sem frizz e com a definição do jeitinho que eu queria. hahahaha

 

AGORA FIQUEM COM OS ANTES E DEPOIS <3

 

E ai gente gostaram? De mais a história dela né.

Bom agora só deixo minha beijoOka, e se alguém quiser dividir a sua história aqui com a gente eu vou amar <3. 

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Comentário(os)

Comentário(os)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *